sexta-feira, 11 de julho de 2014

Leve

Alma leve de passarinho
Que se atreve e cisma.
Escreve
Histórias de libertações.
E sente a alforria
Emergindo de si
Como lava de vulcões
Derretendo neve.
Segreda
Consigo mesmo suas monções.
E sente a possibilidade
Emergindo pra si
Como chuva de verões
Que chega de repente.
Usufrui
O que de bom vem com o tempo
Emergindo em si
Como ventania num catavento.

Nenhum comentário: