sexta-feira, 11 de julho de 2014

Lassidão



Vestido da flor do algodão,
Pés sem sandálias na areia.
O ar lembra a lassidão
Do sangue correndo na veia.

A casa tem a aparência
Dum abrigo aconchegante.
O vento arrasta a essência
Do seio tão verdejante. 

De sede teu corpo transpira 
Em meio às coisas da lida.
O campo é estampa florida
Que a minh'alma inspira.

O Sol teus olhos incendeia,
Doando-te porções de lume.
Como se fosse uma candeia
Que se expande no negrume.

A vida é dama pachorrenta
No lusco fusco das horas.
Teu olhar me desorienta
No ínterim das demoras.

O céu é um tapete inverso
Que é estampado de Lua.
Nosso mundo é o universo
Que liga minh'alma e a tua.

Nenhum comentário: