quarta-feira, 11 de junho de 2014

Sobre Razão e Quimera

Venha, curve-se até o chão.
A ilusão vem da espera
Das coisas que apenas se dão
No plano são da quimera.

Não prenda sua atenção
Na derrota que acelera
Toda a comiseração
E jamais diga: oh quem dera!

Esqueça tudo o que é bordão.
Firme bem os seus pés na terra,
Mas não se limite à razão.
A vida assim é uma guerra.

Não viva os dias em vão!
A nossa vida se encerra
Se os dias apenas são
O pé, não o cume da serra.

Escale a vida então!
É sempre bom se ter quimera,
Afinal toda ilusão
Chega mansinho e altera

O paladar do seu pão.
Dá à visão outra esfera,
Altera a coloração,
Pois a razão só pondera.

Nenhum comentário: