quarta-feira, 11 de junho de 2014

Substanci(AR)


Respire, embora a morte seja certa.
A vida constantemente se esmola.
Nem sempre se gasta toda a sola
Nem sempre o sapato se conserta.

Se for imergir use o escafandro.
Não se esqueça que o ar é oriundo
Do primo sopro e não há meandro
Do fôlego para se vir ao mundo,

Pois não se vive sem oxigênio,
Sendo comum, inepto ou gênio.
O ar é coisa substancial.

Trague bem fundo a vida; não se esqueça
Quer o tempo esquente ou arrefeça,
Respirar é próprio de um mortal.

Nenhum comentário: