sábado, 21 de junho de 2014

Minha Ave Interior


Minha ave interior
É-me boa companheira,
Inda que vil agoureira,
Por fazer-me sentir mal,
Ante as aves do quintal.
Tem voo subjacente.
Um voo triste inverso,
Profundo e submerso.
Um voo atípico, abismal.

Um comentário:

Renan Tempest disse...

Muito lindo, Suely! :)