sábado, 21 de junho de 2014

Cearês



Menina, rebola isso no mato,
Num fica arrudiando.
Capa logo o gato,
O lixeiro tá já passando.
Depois dê o grau nesse salseiro,
Que estou fumando numa quenga.
E veja se não arenga.
Teu pai hoje está bunequeiro,
Cheio dos pau,
Aquele galalau.
Depois vá merendar,
Se não vai ficar com gastura.
Mas não vá se empanzinar.
Avia, deixa de fazer hora,
De conversar miolo de pote
Com esse magote
De abestada.
Coma logo essa rapadura.
Preciso sair agora.
Estou avexada.

Nenhum comentário: