quinta-feira, 12 de junho de 2014

Anoitecer


A manta da noite cobre a vida
No espaço após a ida da tarde.
O horizonte a noite invade,
Deixando a tarde esquecida.
E as estrelas são pirilampos
A pulsar sua energia
No firmamento, onde tantos
Outros astros jazem
Constantemente numa romaria,
Ao mesmo tempo que nos comprazem
Com sua cintilância
Involuntária e frequente,
Como se fizessem a vigilância,
Quando o dia já se faz ausente.

Nenhum comentário: