quarta-feira, 11 de junho de 2014

A Contadeira de Histórias


Com o halo carregado
De bons presságios
Compunha contos de cordel
Ou frases para adágios.
Trazia de volta a carochinha
Ou versos de menestrel.
Não falava só com os lábios;
Gesticulava, fazia trejeitos.
Olhava para os lados
Para causar efeitos
Aos enredos contados.
Fazia suspense; segredo.
Descrevia as personagens
Que, às vezes, causavam medo.
Foram verdadeiras viagens
E bonitas trajetórias.
Dentre todas as personagens
A minha predileta
Era a contadeira de histórias;
De quem eu era neta.

Nenhum comentário: