sexta-feira, 4 de abril de 2014

Efemeridade


O que invade a alma de repente, 
Que chega e dela se apodera,
Esvai-se também subitamente,
Da mesma forma que uma quimera. 

Mas tudo aquilo que é cultivado, 
Que pede tempo pra se alojar, 
Tem garantias de longo reinado,
Com a proporção que se desejar .

E mesmo com o transcorrer dos anos,
Tem a viçosidade pueril. 
Tem a fortaleza dos oceanos.

Ao passo que aquilo que é febril, 
Não passa de meros enganos:
Mentira, artimanha, ardil.

Nenhum comentário: