quarta-feira, 5 de março de 2014

Teima





(...)

Mas se eu escutar meu coração,
Diante de tamanha incerteza,
Ele seguirá outra direção,
E, hesitante, terá ardileza

Para inverter a situação
Com a habilidade de um cavalo,
Que muda sempre sua posição.
Como um astucioso vassalo,

Que pouco a pouco o seu rei depõe,
E a si mesmo um dia entrona,
Quando em seu nobre posto se põe.

Por isso primo pela surdez.
Se escuto de fato o meu "core" ,
Dou-te xeque-mate de uma vez

Depressa, para que não demore.

Nenhum comentário: