domingo, 2 de março de 2014

Sonhos



Olhava as copas altas ao vento.
Punha os olhos a repousar nas folhas,
Enquanto o pensamento profundo e lento
Ia caminhando por entre as escolhas.

Os pés firmados no chão de cimento
Tornavam-na firme como uma escultura,
Porém a mente era só lamento:
Remoía em vão sua desventura.

A sua tristeza tinha gestos risonhos,
Que oscilavam entre realidade e devaneio,
Naqueles dias tão tristonhos.

Mas se "somos feitos da matéria
De que são feitos os sonhos",
Sonhar então é coisa séria.

Nenhum comentário: