domingo, 2 de março de 2014

Profundeza


eu voo sem asas

bonito
é um voo solitário recôndito
do meu espírito 
na profundeza possível
eu subo a serra de granito
sem fauna, flora
é imperceptível
se chego ou se vou embora
eu voo sem deixar vestígios.


eu voo cá onde estou

presente, mas ausente
folha seca
visão da mente
fico e vou
voo reto
em curva de 90º
espírito turvo, espírito quieto.


eu voo... eu voo...

consciente, inconsciente
esquiva 
eu fujo estando presente
diante apenas de mim
estou viva
viva!

Nenhum comentário: