domingo, 2 de março de 2014

Paráfrase do poema "Psicologia de um Vencido" de Augusto dos Anjos


Sou corrompido, mas da terra, filho.

E desde que me percebi  gente.
Sou sorvido pela treva e pelo brilho.
Será culpa dos signos o mal que se sente?

Melancólico, triste, sorumbático...

A repugnância me é prato cheio.
Uma constante ânsia; oh que antipático!
A nosomifalia me causa enleio.

Mal que arruína a minha alma,

Que me causa a aparência de um odre:
Couro velho curtido, reles coldre.

No entanto, não se foge dos males fatais,

Pois o mal acaba por habitar o cerne
Do homem que o teme, por antes, temer o verme.

Nenhum comentário: