sábado, 1 de março de 2014

Os Teus Olhos




 Os teus olhos são dois lagos profundos.

 De tão tristonhos parecem infindos.
 Quero admirá-los por segundos.
 Dizer-te que eles me são bem-vindos.

 Para mim és bela aparição.

 Um anjo pálido e mui fraterno.
 Difícil de ti fiel descrição.
 Um anjo silencioso e bem terno.

 A tua guarda é antigo desejo.

 Duma alma sofrida e pungente,
 Que segredou no âmago o ensejo

 Doutra alma, que sendo transparente,

 Aos seus olhos devolvesse o lampejo
 Deixando-os na vida mais luzentes.

Nenhum comentário: