domingo, 2 de março de 2014

Para Ane (Uma amiga de infância)


Como de um rio as águas mansas

Docinho favo de mel. 
Em meio a tantas crianças,
Tal mocinha de um cordel.
Sorriso afável;
Constante meiguice,
Em sua criancice
Plena e agradável.
A sua companhia
Era para muitos cara,
Porque com maestria
Você exercia 
O dom de ser uma amiga rara.

Nenhum comentário: