domingo, 2 de março de 2014

Morte e Vida


 A morte me era, assim,
 Uma criatura algoz.
 Um pensamento infeliz
 Era a morte para mim.
 Mas eu era aprendiz.
 Hoje, a mim ela é um albatroz,
 Que nos abraça em momentos.
 A morte são pensamentos,
 Em horas beligerantes,
 Do eu da gente de hoje,
 Do eu da gente de antes,
 Que pensa no eu vindouro.
 A morte não é agouro.
 A morte é a agonia
 Do sono toda a noite.
 "De fome um pouco por dia".
 Assim sendo, a vida é morte,
 Mas também a morte é vida.
 Fica-se com ou sem sorte.
 Vai-se na mesma medida.

Nenhum comentário: