sábado, 1 de março de 2014

Feituras, Figuras e Gestos


A tarde trazia um ar especial
Destoando do que se chama real.
Meu olhar corria pela parede
Sem acabamento; cheio de sede
De penetrar coisas físicas,
De captar coisas no ar.
Havia atmosferas místicas
Dentro do meu ato de pensar.
Eu olhava a simplicidade com doçura
E a banalidade me dizia
Que por trás de coisas tão triviais
Havia outras descomunais.
Tanta candura
Que se não percebia...
Eu olhava as estacas fincadas,
O grande vão que se traduzia em estrada.
Olhava composições aleatórias:
Figuras e gestos,
Feituras em atos modestos.
Então, minha mente trabalhava convulsivamente histórias.

Nenhum comentário: