domingo, 2 de março de 2014

Existência



Cá, entre a vida e outras existências,
a relação é tamanha. 
São tantas as influências!

Ser vivo, coisa inerte, aparência... 

Tudo o que existe  está no palco
da sanidade ou da demência.

As ataduras, os bálsamos, os sândalos... 

A discrição e os escândalos. 
As coisas cheias e as inanes.

Os reveillons, 

que nos empolgam com seus ritos
De passagem,
Que não passam de mitos.

Ah, a velha carruagem!


As noites envoltas em lençóis.

E, nelas, tantos momentos,
Que se perdem em girassóis
De outros ventos.

Em todo o  tempo  as coisas cooperam

Com aqueles que por elas esperam. 

Então, a existência

Reina absoluta,
Sobrepondo-se à crença.

Ah, a existência, essa verdade que ninguém refuta!

Nenhum comentário: