sábado, 1 de março de 2014

A Cegueira de Édipo





Ele ao rei trairia,
Cumprindo a sina.
Castigo?
Ele,
Que da amada
Havia nascido,
Desconheceria tal parentesco,
Como previa o oráculo.
Na primeira cena
Do trágico “espetáculo”,
Ele amaria aquela
E dela seria involuntário amante.
Depois, faria do regente um deposto.
Mas, o oráculo tudo elucida.
A mãe põe fim à sua vida
E, de desgosto,
Num ato de loucura,
O infausto os olhos fura.

Nenhum comentário: