quarta-feira, 5 de março de 2014

Arcano





Quando me sinto à toa
Não sei como explicar,
Mas a minha alma voa

Numa névoa de arcano.
Ela sobe uma escada
Que vai dar em outro plano.

Ou então ela perpassa
Pelas estradas do tempo,
Num grande estado de graça.

Num estágio imaculado
Deixando de lado o palpável,
Adentrando o outro lado.

É um estado letárgico
Que me possibilita,
Entre o real e o fantástico,

Enxergar o inaudito,
Que separa o perecível
Do plano do infinito.

Nenhum comentário: