sexta-feira, 7 de março de 2014

Apenas um Grão

Ela era só um grão;
Um fragmento de era.
Era pó em ação;
Um sonho, uma quimera.

Um fragmento de era;
Um ente da criação.
Pólen da primavera;
Um único e mísero grão.

Uma doce aparição,
Que vivia de espera.
Mergulhada numa ilusão,
Girando como uma esfera.

Tentando viver em vão;
Lutando sempre à toa.
Sem nenhuma condição,
Aspirando uma fase boa.

Um grão somente ela era,
Pairando na expansão.
Vagando na atmosfera,
Compondo uma imensidão.

Nenhum comentário: