terça-feira, 11 de março de 2014

A Tua Voz (Soneto estrambótico)


A tua voz, ó que linda!
Que beleza entoante.
Duma impressão marcante.
Não há para mim ainda

Voz mais bela, mais vibrante,
Que me conforte e alegre,
Sendo firme ou mais leve,
Ainda que tão distante.

Voz facunda, eloquente
Que me ampara, me acalma.
Que penetra a minh'alma,

E a toca suavemente.
Voz de marcante chancela.
Ó que sonora, que bela!

Mesmo que beligerante
Tua voz é tão amável
É indizível, inefável.

Nenhum comentário: