domingo, 29 de setembro de 2013

Vazio


Usei em vão as palavras.
Como pude não perceber?
Apenas lendo-me pude negar
O teor do meu escrever,
Assim tão racional.
Disse o que disse:
O previsível.
A palavra literal tão banalizada.
Antes eu a fizesse calada
E infrequente...
Mas não a calei.
Soltei um vocabulário
Tão aquém da expansão!
Forçado e apreendido.
Fui além das páginas do diário.
Soltei o verbo; carma de quem abusa,
Banalizando a expressão.
Mas tudo é lapidável.
O comboio vocabular insípido
É preferível que dê lugar ao ríspido
Ou que se faça mudo, calado,
Para não cair nas graças da evasão.


Nenhum comentário: