segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Cantiga do Mar


Lancei meu barco ao mar.
Comecei uma viagem,
Direcionando a vela.
Pus-me, então, a vislumbrar
Aquela belíssima tela,
Vinda de lá e de cá.
O marulhar era cantiga.
É, a cantiga do mar.
Igual à cantiga de ninar,
Aos meus ouvidos exaustos,
Que, muitas vezes, incautos,
Perdiam-se tanto por crer
Nas coisas que só deveriam esquecer.

Nenhum comentário: