segunda-feira, 30 de setembro de 2013

À Esperança



A esperança...
Que ela não morra!
Que escape!
Que escorregue
E escorra
Por entre
As frestas
Mais modestas!
E que sobreviva
Liberta
E plena!
A esperança...
Que ela não se esgote!
Que seja altiva!
Que seja sempre a última cena!
Que sobreviva a qualquer golpe!
Que seja soberana,
Sobressaindo às investidas
Do desespero!
Que  seja profunda,
Jamais plana!
Que seja um bem costumeiro!

Nenhum comentário: