sábado, 24 de agosto de 2013

Teima





Estou tonta de tentar;
Tanta tentativa cansa.
Passo o tempo a pensar;
Tento; não perco a esperança.

Tombo no meu arriscar;
Perco o tino igual criança,
Mas viver é intentar;
É tecer uma longa trança.

Tecer é mesmo vital,
Na trama que a vida pinta;
Por isso esqueço a cal;
Tento misturar a tinta.

Sigo tonta a tentar,
Pintando o sete eu sigo.
De tanta tinta jogar,
Tenho um arco-íris comigo.

Se pendo de um lado,
E, assim, quase despenco,
Nesse pender incontrolado,
Metas e metas elenco.

Teimo tentando e pintando.
E, ao entornar as tintas sinto
Que elas eu misturando,
Minha aquarela pinto.

Estou pronta a tentar;
Tanta tentativa ensina.
Passo o tempo a trançar
Nuances pra minha sina.

Nenhum comentário: