quarta-feira, 24 de julho de 2013

Recordações






A cobertura vermelha
Do topo da casa,
Feita telha a telha,
De longe parecia de brasa.
E a casa caiadinha,
Como se fosse casar,
Tinha do lado uma cerquinha
Cheia de flores
E toda plantinha
Pra fazer chá para as dores.
A cacimba profunda,
Mais atrás do terreno imenso,
Parecia um poço dos desejos
Bem extenso
Para realizar os ensejos.
As árvores espalhadas
Por toda a propriedade,
Pareciam belas fadas
Verdes e perfumadas.
Uma construção inacabada
Era para mim uma praça,
Onde eu sentava de tarde
E ficava a fazer graça.

Nenhum comentário: