sábado, 8 de junho de 2013

Vaidade






Não tem graça a vaidade extrema
A empáfia, o orgulho, a arrogância...
Sentir-se pleno, sempre acima, é ganância.
O bom é manter a vaidade amena.

Diz-se que tudo demais é veneno.
Com a vaidade não é diferente.
Ela infla o seu ego, tornando-o gigante.
Enquanto o caráter um tanto pequeno.

Quem se exibe e busca atenção,
Na verdade, se sente aquém.
E precisa de exposição
Para se sentir realmente alguém.

O elogio genuíno, real
Não é forçado; incitado.
Ele surge de forma natural,
Sem que se tenha provocado.

Nenhum comentário: