quarta-feira, 12 de junho de 2013

Ritos de Passagem


Crescer é bom, mas difícil.
Crescer parece até um vício,
Que se torna incontrolável.
Que venham então as passagens,
Mesmo sem doze badaladas,
Sem  madrinhas, que são fadas
E também sem carruagens!
(...)
Ficar em pé e andar.
A chupeta encostar.
Vencer o medo do escuro...
Escapar de algum apuro.
Atravessar sozinha a rua.
Aprender a usar salto.
Viver as fases da Lua.
Fazer a vida de palco.
Adotar uma profissão.
Ter trabalho de montão.
Ir sempre passando de fase,
Como numa construção,
Que tem o alicerce por base
Para a continuação.
E que venham, então, os ritos:
Os ditos e os não ditos!
E, junto, a celebração!

Um comentário:

Jeferson Cardoso disse...

Que lindo, Suely! Parabéns! A vida é agora! Adorei e quero deixar um convite. Gostaria de te receber em meu blog para uma leitura e comentário: http://jefhcardoso.blogspot.com Abraço!