terça-feira, 16 de abril de 2013

Confusa



Caminhando um pouco perdida,
Um pouco encontrada
Comigo mesmo.
Eu sigo orientada nesta estrada,
Mas, às vezes, ando a esmo.
Às vezes, é minha chegada;
Noutras, minha partida.
Vinda; ida...
Minha bússola é indecisa;
Ela sempre improvisa...
Meu norte sempre muda.
Às vezes, ele não me ajuda.
Não sei o que houve com meu fuso.
Ele anda desregulado, confuso!
Minha alma voa.
Meu corpo o chão pisa.
Ele aterrissa,
Mas ela a realidade sobrevoa
E não me avisa.
Perdi o senso.
Eu já não penso.
Eu vivo lá e cá.
Eu realizo,
Mas também idealizo.
Vivo assim, a pôr os pés no chão
E a levitar.
Eu vivo a me perder,
Buscando me encontrar.

Nenhum comentário: