segunda-feira, 15 de abril de 2013

Amar é humano



Amo-te é mais lírico.
“Te amo” é mais eufônico.
“Te amo” é mais fluente.
“Te amo” é mais harmônico.
Dane-se a forma vigente!
“Te amo” é mais sonoro.
           ...
“É a ti que eu adoro!”

O “te amo” é convincente,
Porque o “te” vem na frente.
Embora o “amo-te” seja o certo,
Soa artificial,
Pois quando se ama alguém,
Ele não vem no final.
Ele vem antes e não depois.
             ...
Um e um é igual a dois...

Amo-te ou te amo;
Alegria ou desengano.
“Te amo” é  soberano
Ao amo-te que ninguém usa.
             ...
“Te amo; és minha musa!”

“Te amo” a língua acusa
Que é um erro crasso.
“Te amo” e me embaraço
No Português que é vigente,
Mas que não diz como a gente
Quer de fato que ele soe.
De um jeito bem sonoro...
E ao Português ignoro
E quero que o “te amo”
Tanja, retumbe, ecoe...
E que a norma me perdoe,
Mesmo que ele errado soe.
Afinal, amar é humano.

Nenhum comentário: