sábado, 23 de março de 2013

Medo de criança




Quando eu era criança,
Tinha tanto medo das bruxas dos contos de fadas!
Tinha medo de fantasma e do escuro
E das sombras nas paredes projetadas.
Eu temia a comilança
Do velho lobo mau
“Que se escondia atrás do muro”.
E, por isso, eu não tinha confiança
Em sair sozinha no quintal.
Mas de todos os meus medos,
O que se destacava entre os enredos,
O maior, era mesmo o medo
Do fim do mundo.
Este doía bem fundo!
Eu não fazia segredo.
Chorava bem alto e bastante
Para pedir ajuda.
Para que alguém impedisse
Que esse mundo sumisse
A qualquer instante:
“Ô, alguém aí, me acuda!”
Também tinha medo que a Lua,
Quando das nuvens estava nua,
Caísse de tanto que se “mexia”,
Porque até então eu não sabia
Que ela do lugar não saía.
Tinha medo de coisas demais,
Das quais se lembrar  minha cabeça não é capaz.
De coisas que só existiam na minha mente,
Por causa do medo insistente,
Que parecia nunca sumir.
Mas a vida vai ensinando,
Enquanto a infância para trás vai ficando...
E os medos de antigamente,
Hoje, são presentes
Apenas quando estou lembrando
De uma época em que o medo
Que assustava era o enredo
Dos contos que minha mente ia criando...

Nenhum comentário: