domingo, 24 de fevereiro de 2013

Insatisfação



Algumas coisas ainda há no entardecer;
Coisas especiais, tão ternas,
Que a espera dolorosa esconde em horas eternas
E insiste; teima em suster.

Essa força que não se mede
Presença indesejada, malquerida.
É visita, pois, que não se pede
E que remancha na sua partida.

Orvalho, luz do Sol, campos, roseiras...
São pequenas coisas costumeiras
Que não sabem, mas aliviam a espera.

Mas a expectativa pelo que está ausente,
É do homem capricho frequente,
Pois ele almeja sempre uma nova esfera.

Nenhum comentário: