sábado, 23 de fevereiro de 2013

Aparente perfeição



Teu jeito assim diferente
Nem igual, nem raro.
Nem banal, nem irreverente,
Apenas um jeito tão claro.

 De uma clareza evidente.
Um jeito que a muitos conquista
Em meio ao de tanta gente.
Maneira de ser nunca vista.

E até que eu me surpreenda
Com o teu jeito oculto.
E que me caia a venda,
O que suscitará o insulto.

Eu fico aqui convencida
De que teu jeito é perfeito.
Até que, enfim, eu vencida,
Encontre algo suspeito.

Decepcionada, finalmente;
Enraivecida, eloquente.
Digo a ti que o teu jeito
Não é assim tão perfeito.

Nenhum comentário: