quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Infância




Voltar ali é voltar à primavera,
Aos verdes campos extensos.
À doce espera, aos sonhos suspensos
Daquela festiva atmosfera.

Não  tinha medo, espanto
Que não fosse de tolice, 
Do escuro, de invenções da mente.
Crendice,
Desencanto...


Pulos soltos pela estrada,
Árvores constantemente escaladas,
Os olhos lá longe na terra lavrada.
Da época em que tudo era animação
A saudade hoje escorre.
E quando aquilo me ocorre,
Fecho as imagens eu meu coração. 

Nenhum comentário: