quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Estio



Dorme agora aquele sentimento numa anestesia.
Some do meu pensamento,
Fica distante, tal quimera.

Assim como intenso foi senti-lo,
Intenso também é agora este vazio
Profundo.
Sumiu na imensidão do engano.
Dias em um segundo!
Nada resta!
Estio...

A mim culpa nenhuma!
Nada que me desvalorize.
A vida também é ilusão.

 Chance sempre há alguma.
A vida nem sempre é  crise!
É constante diapasão.

Nenhum comentário: