quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Amor Ideal




Dos sonhos que eu sempre tive
Tu és meu tolo sonho secreto.
De ti nada tive de concreto.
Sonho que à vida inteira contive.

Não queria te revelar a ninguém,
Pois contar um sonho caro não convém.
Então, em minha mente me pus a talhar
Tua imagem detalhadamente, sem falhar.

Não és um anjo celestial,
Nem alguém comum neste mundo.
Mas, uma imagem incrustada em meu íntimo profundo,
Num lugar adentro especial.

Vem, quero mostrar ao mundo minha obra.
Espero-te em sonho embevecida.
Vem, que o meu querer isso me cobra,
Pois de ti minh'alma vive umedecida.

Tu, ó ilusão nociva, vã!
Que não te concretizas, tampouco te vais.
És quase já minha amiga.
Ainda que a mim não acompanhe, persiga.

Mas, se foste impossível para mim,
Por se tratar apenas de uma miragem.
Terei eu que ter muita coragem
De acordar de vez deste sonho, enfim.

Nenhum comentário: