quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Dissolvendo-te



Tenho de ti uma sugestão constante
Isso me devora feito traça
Fragmentos teus, vis instantes
Não importa o que eu faça.

Em vão tento dissolver sua miragem!
Essa vil silhueta persistente
Fugir do peso de sua imagem
Que me faz tola reincidente.

Fecho os olhos e almejo outra trama
Que inclua alegria e exclua o drama
Que não me represente ameaças.

Firme, decidida caminho resoluta
Fazendo com o destino uma sábia permuta
Que é passar d’alma triste à contente.

Nenhum comentário: