quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Da Minha Janela


Da minha janela incerta vejo a toda hora
Coisas despercebidas lá fora
Vejo o desenrolar do dia, gestos nobres, atitudes vazias
 O desencadear de sentimentos em forma de atitudes
Umas coisas eu muito aprecio, outras muito lamento
São meras vicissitudes
Ah, a vida e seus acontecimentos!
Desta janela temporária
Companheira solidária
Umas coisas apenas vejo
Outras idealizo, algumas almejo
Na minha viagem diária
Que ora pelo mundo real
Ora pelo ideal
Faz-me expectadora vicária.

Nenhum comentário: