segunda-feira, 26 de novembro de 2012

A vida e o tempo




 Distintas etapas se sucedem
 Na velha e habitual escala 
 Que a sábia costureira e seu velho amigo tecem 
 Quando este toca as horas e aquela a existência embala. 

 Quase que imperceptivelmente agem

 Ponteando incessantemente fatos e dias 
 Para acompanhá-los há que se ter coragem 
 Um tanto de atenção, outro de ousadia.

 Uma com o tecido, o outro com a linha 

 Ora penteiam a trama, ora a desalinham
 Em seu constante trabalho.

 Seu incansável coser recíproco

 É mera existência, não há equívoco
 Vida, uma imensa colcha de retalhos!

Nenhum comentário: