sábado, 27 de outubro de 2012

A raposa







Lá vem a raposa enxerida
Afugentar as galinhas do poleiro
Sagaz e ágil é perigo de vida
Para elas o ano inteiro.

Anda em círculos e fareja
Planejando o ataque
Enquanto as galinhas cacarejam
Impotentes ao combate.

De repente, latidos no quintal
O cão da fazenda persegue a atrevida
E enxota dali o animal
Que continua em busca de comida.

Tadinha da raposa esfomeada
Cansada, teve em vão o seu esforço
Saiu dali em disparada
Deixando para trás o almoço.

Nenhum comentário: