quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

O Despertar



A vida estava branca, pálida,descolorida.
Nenhum movimento ousava surgir.
Como algo estático, sem força... partida,
A vontade parecia não existir.

Em certo momento, a esperança vem
E, como mágica a tristeza se evade.
Um raio de lucidez me entretém
E, de repente, o querer me invade.

O horizonte, agora, plano.
As sombras das árvores multiplicam-se.
Não há mais ócio, medo, desengano.
Todos os sorrisos comunicam-se.

Assim, dia a dia, a vida aparece
Num festival lívido ou garrido.
De coisas várias o viver acontece,
Num campo suave ou dolorido.





Nenhum comentário: