terça-feira, 25 de janeiro de 2011


Descaso

Talvez eu te afague, te beije, te apanhe
Talvez te veja, não apenas te olhe
Talvez te pegue, te guie, te banhe
Talvez te abrace e meu olho te molhe.

Quem sabe eu estenda a mão para ti
Quem sabe sofra por ti também
Quem sabe te proteja, te ensine a sorrir
Quem sabe te console, te faça alguém.

Talvez eu te aponte a nova lua
Talvez te cobre o impossível
Talvez te resgate da vida na rua
Talvez te pinte um horizonte incrível.

Quem sabe meu desejo ali adormeça
Quem sabe te olhe e ignore teu ser
Quem sabe atravesse a rua e te esqueça
Quem sabe te olhe e não queira te ver.

É cruel, mas é possível
Eu fingir não te ver, menino
É duro, mas aceitável
Ignorar o teu destino.

dosesdeprosaseversos.blogspot.com

Nenhum comentário: